13 de Julho de 2017
  • Folha de Caxias
  • Economia
  • P. 5

Agronegócio gaúcho vende 1,5% menos para o exterior

Exportações somaram valor total de US$ 5,2 bilhões no semestre

As exportações do agronegócio gaúcho somaram, no primeiro semestre, US$ 5,2 bilhões, queda de 1,4% na comparação com os seis primeiros meses do ano passado. A dinâmica das vendas externas foi caracterizada por apresentar crescimento no volume embarcado (1,5%) e queda nos preços médios (2,8%). Os números foram apresentados nesta quarta (12) pela Fundação de Economia e Estatística (FEE) do Rio Grande do Sul.

No período, os setores mais importantes para as exportações do agronegócio gaúcho foram complexo soja, com US$ 2,6 bilhões; carnes, US$ 962,1 milhões; fumo e seus produtos, US$ 467,6 milhões; produtos florestais, US$ 328,5 milhões; e cereais, farinhas e preparações, USS 241,5 milhões. O segmento de máquinas e implementos agrícolas foi o que apresentou maior queda no semestre, de 61%, equivalente valores absolutos de US$ 63,1 milhões.

O complexo soja se destacou pela alta de 7,8% em valor e 7,2% em volume. Ainda assim, o ritmo dos embarques segue abaixo do esperado, considerando-se o incremento da produção gaúcha de soja de 14,6% segundo o IBGE (18,6 milhões de toneladas). Há, segundo os economistas da FEE, oferta expressiva de produto armazenado que pode ser comercializada no segundo semestre, dependendo, sobretudo, das condições de formação de preços no mercado internacional e do mercado de divisas.

A China é o principal destino dos produtos do a gronegócio gaúcho, respondendo por 42,5%, seguido pela União Europeia com 13,2%, que apresentou o maior recuo, de 11,3%, dentre os mercados compradores. Houve crescimento nas exportações do complexo soja para a China, da carne suína para a Rússia, do trigo para a Coreia do Sul e das partes de outras máquinas e aparelhos para colheita e debulha para a Argentina.

MENSAL - Em junho, as vendas externas do agronegócio gaúcho totalizaram US$ 1,1 bilhão. Coruparativamente ao mesmo mês do ano anterior, ocorreram quedas no valor (16,9%), no volume (16,2%) e nos preços médios praticados (0,8%). Em termos absolutos, a redução nas exportações foi de US$ 227,2 milhões. Complexo soja, carnes, máquinas e implementos agrícolas e couros e peleteria foraru os setores de perdas mais significativas. Já a atividade fumageira elevou o valor exportado em 23,7% em valor e o volume em 20%.

Gráfico - ver imagem.