20 de Outubro de 2019
  • GaúchaZH
  • Geral

Contardo Calligaris fala sobre o sentido da vida no Fronteiras do Pensamento em Porto Alegre

Psicanalista e cronista promete dizer qual é o sentido da vida em palestra nesta segunda-feira

Italiano radicado no Brasil, Calligaris atende em consultório e escreve crônicas, romances e série de televisãoAdriana Franciosi / Agencia RBSO psicanalista e cronista Contardo Calligaris é declaradamente contra spoilers, mas faz uma promessa e tanto ao público que o assistirá nesta segunda-feira (21) à noite no Fronteiras do Pensamento:

- A palestra dura uma hora, o que é muito pouco. Mas uma coisa que eu posso dizer, e que aparentemente ninguém fez ainda, é que vou dizer qual é o sentido da vida! Claro, pode ser que alguns fiquem desapontados - afirma, entre risos. 

A ideia formulada por Calligaris, de que é mais importante levar uma vida interessante do que uma vida feliz, inspirou o tema do ciclo de conferências Fronteiras do Pensamento em 2019: Os Sentidos da Vida. 

- A felicidade não é realmente um valor para mim. Vou tentar explicar o que é, para mim, uma vida interessante. Farei uma espécie de autobiografia moral, contando como cresci de tal maneira a hoje pensar o sentido da vida como penso. Responder a essa pergunta é uma das maneiras de nos afastar um pouco da regra da nossa vida social hoje, que é uma tremenda boçalidade. Para mim, boçal é quem quer impor aos outros a sua maneira de gozar. É mais do que ser contra um comportamento sexual diferente do meu, está no âmago do que foi a Inquisição. Quanto mais fraca é a minha fé, mais atravessada por dúvidas, mais eu vou perseguir quem não acredita.  

Excepcionalmente, a conferência desta segunda-fera não ocorre na UFRGS, como de costume, mas no Centro de Eventos da PUCRS (Avenida Ipiranga, 6.681). O horário permanece o mesmo: 19h45min. Os passaportes para a temporada 2019 do Fronteiras do Pensamento estão esgotados. Depois da palestra, o psicanalista autografa o livro Coisa de Menina? Uma Conversa Sobre Gênero, Sexualidade, Maternidade e Feminismo, no qual divide a autoria com a psicanalista Maria Homem. Os temas do livro devem figurar na palestra de Calligaris.  

- A minha maneira de pensar e pesquisar é trabalhar em blocos. Há quatro ou cinco anos que penso sobre como a origem da nossa cultura se deu especificamente nos primeiros quatro ou cinco séculos do cristianismo, quando nasceu uma cultura de ódio ao corpo, que é uma cultura misógina, de ódio às mulheres. Isso tem muito a ver com as razões pelas quais nos tornamos tão preocupados com o sentido da vida e tão incapazes de responder a essa questão - explica o psicanalista.

Italiano radicado no Brasil, Calligaris não vê o momento atual do país com otimismo.

- O clima cultural é sinistro. Vamos pagar um preço grande do ponto de vista da nossa produção cultural. Aliás, já estamos pagando. 




Versatilidade




Atualmente, Calligaris divide seu tempo entre o consultório, a produção de livros e sua coluna semanal no jornal Folha de S.Paulo. Aos 71 anos, nem pensa em se aposentar.

- A prática de atender (no consultório) é um tipo de enriquecimento interior ao qual não estou disposto a renunciar, a não ser que fique incapaz de fazer isso. 

Doutor em psicologia clínica pela Université de Provence, na França, e integrante do corpo docente do Institute for the Study of Violence, em Boston (EUA), Calligaris é autor de referenciais livros sobre psicanálise, além de romances, uma peça teatral e a série de TV Psi, exibida no canal por assinatura HBO.

O Fronteiras do Pensamento Porto Alegre é apresentado por Braskem, com patrocínio Unimed Porto Alegre e Hospital Moinhos de Vento, parceria cultural PUCRS, e empresas parceiras Unicred e CMPC. Universidade parceira UFRGS e promoção Grupo RBS.