30 de Julho de 2020
  • UFRGS
  • Geral
  • 6 banner(s)

Time da Aliança para Inovação participa da IXL Innovation Olympics

Competição visa soluções inovadoras em negócios pós-covid

Já imaginou reunir equipes do mundo, de diferentes áreas do conhecimento em uma competição por soluções inovadoras pensadas para o pós-Covid? Isso está acontecendo na IXL Innovation Olympics. E um time formado por integrantes da Aliança para Inovação participa da competição internacional. Professores e alunos competem por soluções inovadoras para empresas.

Durante 8 semanas, os participantes são desafiados a integrarem seus conhecimentos na resolução de um problema real de inovação. "A importância está na troca de experiências entre alunos e professores de diferentes áreas e instituições. É extremamente importante reforçar essa Aliança e parceria entre as três instituições", afirma a coordenadora e professora na Escola Politécnica da Unisinos e integrante da equipe, Tatiana Rocha.

Para o doutorando em Administração na Unisinos e integrante da equipe, Leonardo Gonçalves essa é uma oportunidade de aprendizados e novas conexões internacionais, em um contexto colaborativo e com muitas trocas de experiência. "A Olimpíada da Inovação é uma competição entre equipes de pós-graduandos de grandes universidades do mundo - EUA, Canadá, Austrália, Índia, entre outros", completa.

A engenheira civil, pesquisadora da UFRGS e também integrante da equipe, Luciane Caetano se diz orgulhosa em representar a Aliança. "Este projeto coloca as três maiores universidades do Rio Grande do Sul unidas, pensando e planejando formas de tornar nossa querida Porto Alegre mais funcional e atraente. Poder trabalhar em um grupo tão diversificado e com tantas pessoas capazes traz muita riqueza pra este desafio e um aprendizado imenso", afirma.

Nesse ano, o desafio é pensar soluções em negócios pós-Covid. Para Tatiana, o assunto não poderia ser outro e é preciso trabalhar o cenário posterior em diversas áreas. "É inevitável, vamos sair desse momento de uma maneira diferente, seja para melhor ou pior. Sabemos dos impactos dentro da economia e no desenvolvimento como um todo. É preciso discutir de todas as formas essas questões, trabalhando em conjunto esses próximos cenários", completa.

É uma competição que cria resultados significativos em que as empresas podem tomar ações reais. O processo é configurado com equipes treinadas por mentores, usando uma metodologia certificada e treinamento profissional. Os participantes agregam com trabalhos e pesquisas realizados em suas áreas de atuação.

E assim surgem ideias que são propostas na competição. "O conhecimento que adquirimos com o passar do tempo dentro da Universidade, a partir de projetos desenvolvidos, trocas com alunos, experiências no trabalho com empresas e diferentes instituições. É isso que nos molda. Esse conhecimento é que estamos aplicando", afirma Tatiana.

Para Leonardo, a universidade é uma porta para o mundo, pois abre caminhos e oferece bases sólidas para viver e aproveitar essa experiência global de aprendizado. "Toda base da formação está sendo fundamental para aprofundar a parte técnica das soluções, na universidade aprendemos a trabalhar em grupo a se comunicar, a se fazer entender, saber dividir e de ir atrás de fontes e de profissionais que possam auxiliar, de ser resiliente", completa Luciane.

A competição é dividida em etapas. Envolve um período inicial de geração e colaboração de insights e termina com o desenvolvimento e a validação de casos de negócios. O programa envolve uma sequência de quatro apresentações principais com feedback e orientações para garantir resultados práticos. Ao longo do processo, as equipes são acompanhadas por mentores.

Luciane acredita que é essencial pensar em modelos de negócios para impactar a sociedade após a pandemia, com possibilidades que auxiliem a recuperar o crescimento econômico. "O cenário de crise mundial pela covid mudou rapidamente e profundamente, algumas prioridades e hábitos das pessoas. Aqueles que conseguirem encontrar formas de atender essas novas demandas vão gerar inovações impactantes no mundo", completa Leonardo.

Considerada a maior competição de inovação do mundo, a Innovation Olympics é realizada pela IXL Center em parceria com o Global Innovation Management Institute. O Time Aliança conta com 6 integrantes e representa a Aliança para Inovação que é uma articulação entre UFRGS, PUCRS e Unisinos. A união das três universidades tem o objetivo de potencializar ações de alto impacto em prol do avanço do ecossistema de inovação e do desenvolvimento.