21/12/2016
Diário Popular
País | Pág. 23
Clipado em 21/12/2016 14:12:28
Votação do pacote de Sartori se arrasta de novo
Assim como na noite anterior, após sete horas nenhum projeto havia sido apreciado

A página do jornal solicitado
não está disponível


A segunda sessão de votações do pacote de medidas de reestruturação do Estado proposto pelo governador José Ivo Sartori (PMDB), ontem, em Porto Alegre, foi bastante parecida com a primeira, na segunda-feira, dentro e fora da Assembleia Legislativa.

No lado de fora, assim como na segunda, houve novos confrontos entre manifestantes e policiais do Batalhão de Choque da Brigada Militar; no lado de dentro, mais uma vez a sessão se arrastou. Até o fechamento desta edição, após mais de sete horas, nenhum projeto havia sido votado pelos deputados.

A sessão plenária começou por volta das 15h2Omin. Na segunda-feira, os debates duraram mais de 13 horas. Apenas três projetos, dos 26, foram votados. Ontem, a expectativa de mais uma sessão longa no plenário se confirmou, com discursos da oposição na tribuna a partir da estratégia de retardar as votações.

Na manhã de ontem, servidores seguiram em vigília na Praça da Matriz para acompanhar a ordem do dia.

ORDEM DE VOTAÇÃO

O projeto de lei 256, que prevê a extinção de seis fundações (Zoobotânica, Cientec, FEE, Metroplan, Fundação Piratini e FDRH), era o primeiro previsto para ser apreciado pelos deputados na Assembleia Legislativa.

Em seguida, outros textos que tratam do enxugamento da estrutura estadual estavam previstos para serem analisados.

A escolha pelos projetos mais polêmicos foi possível após acordo fechado em reunião de líderes partidários, realizada no início da tarde.

TENSÃO

A Praça da Matriz foi palco de mais um confronto entre manifestantes contrários às medidas enviadas pelo governo do Estado à Assembleia Legislativa e Brigada Militar. Os dois grupos se confrontaram na noite de ontem após manifestantes derrubarem alguns dos gradis que impedem a aproximação da Casa. Na ação, uma jovem foi detida.

Para dispersar os manifestantes, a Brigada Militar avançou a cavalaria e fez uso de bombas de gás.

Esse foi o terceiro confronto entre policiais e manifestantes apenas ontem. A garota que foi detida estaria portando coquetéis molotov.

No confronto, um policial militar foi ferido na perna e um cavalo da Brigada Militar também sofreu machucados. Não há informações sobre o estado dos manifestantes.

Os servidores contrário às medidas de Sartori, concentrados em frente à Assembleia Legislativa, ganharam o apoio de integrantes da Frente Brasil Popular, da Frente Povo Sem Medo e da CUT, da CTB e do PCO. Os grupos se reuniram na Esquina Democrática no começo da noite e caminharam até a Praça da Matriz para acompanhar sessão na AL.