26/12/2013
Zero Hora | zh.clicrbs.com.br
Geral
Clipado em 26/12/2013 16:10:10
Fortunati admite que apenas duas obras de mobilidade ficarão prontas até a Copa em Porto Alegre
Prefeito afirmou que projeto do entorno do Beira-Rio e de viaduto da Júlio de Castilhos devem ser únicos concluídos a tempo

A página do jornal solicitado
não está disponível


O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, confirmou que apenas duas das obras de mobilidade urbana previstas inicialmente para Copa do Mundo de 2014 na cidade ficarão prontas a tempo do Mundial. Os dois projetos que serão concluídos são o entorno do Estádio Beira-Rio (duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, corredor de ônibus da Avenida Padre Cacique e viaduto da Rua Pinheiro Borda) e o viaduto da Avenida Júlio de Castilhos, no entorno da Estação Rodoviária.

A declaração foi dada em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, da Rádio Gaúcha, na manhã desta quinta-feira.

São obras que poderiam ficar prontas para a Copa do Mundo. As demais são obras que tiveram problemas e acabaram fugindo do nosso controle.

Fortunati citou problemas envolvendo a possível existência de um sítio arqueológico no traçado da duplicação da Rua Voluntários da Pátria, o que teria provocado uma paralisação de cerca de oito meses na obra, e também a demora em definir, por licitação, a empresa que será responsável pela construção dos imóveis do programa Minha Casa, Minha Vida para as famílias que vivem no entorno da Avenida Tronco e terão de deixar suas casas.

O prefeito justificou a lentidão no ritmo das obras de mobilidade na cidade pela demora na liberação de recursos dos financiamentos federais para os projetos, que estaria atrasada.

Estamos fazendo um investimento de R$ 890 milhões. Grande parte é financiamento da Caixa Econômica Federal, um financiamento especial com juros menores. Estamos com dois processos para serem liberados, um de R$ 420 milhões e outro de R$ 150 milhões. Há um compromisso que essa liberação aconteça no início de janeiro. Já combinamos com os empreiteiros que vamos retomar todas as obras, em outro ritmoexplicou Fortunati.