13 de Abril de 2018
  • Riovale Jornal
  • Geral

Ajude Maurício a conseguir uma nova prótese

Nadador tem o objetivo de disputar as Paraolimpíadas de Tóquio em 2020

Maurício Scota solicita auxílio através da plataforma Catarse Crédito: Brunno Prado

Natural de Candelária, Maurício Scota tem 26 anos. Ele é estudante de Educação Física - Bacharelado e paratleta de natação pelo clube Grêmio Náutico União. Ele solicita ajuda para trocar sua prótese por uma mais moderna. “Esta que uso atualmente está dificultando minha rotina diária dentro do esporte e me prejudicando como atleta”, explica o candelariense, em texto publicado na plataforma Catarse, programa de financiamento coletivo para projetos criativos no Brasil.

Quem auxiliar Maurício na obtenção da prótese, poderá ajudá-lo a chegar às Paraolimpíadas de Tóquio, que serão realizadas em 2020. “Uma nova prótese me deixa mais próximo desse sonho, me auxiliando e promovendo uma melhoria em meu desenvolvimento diário”, frisa Maurício Scota.

MUDANÇA

A vida deste jovem sofreu uma mudança no dia 28 de janeiro de 2009: “Quando estava indo trabalhar, no caminho sofri um acidente muito grave, eu estava de moto e bati em um caminhão, devido a ter a frente cortada por ele. Desde então, tudo começou a mudar, pois devido o acidente, tive que amputar a perna esquerda acima do joelho”, relata Maurício.

SONHO NO FUTEBOL

“Os primeiros dias foram muito difíceis, pois como quase todos os jovens era apaixonado por futebol, sempre ouvi muito elogios de amigos e de jogadores mais velhos, que teria um futuro muito bom no futebol, então, depois do acidente mudou tudo. Até eu conseguir aceitar que não poderia jogar mais futebol com meus amigos e teria que usar uma prótese, foi um período de conscientização muito difícil”, recorda o atleta.

REALIZAÇÃO NA NATAÇÃO

Dia 14 de agosto de 2009, Maurício recebeu sua primeira prótese. “Consegui sentir uma alegria imensa, pois estava vendo que poderia continuar fazendo tudo que sempre fiz e um dia pensei, não mais poder.” Depois de três anos, período de adaptação à prótese, ele voltou ao seu antigo trabalho e recuperou sua confiança. Em 2014 entrou na universidade. “Logo no início cursei uma disciplina de natação e ali me vi encantado com tantas possibilidades. Me dediquei e os treinos começaram a ser constantes, minha paixão pelo esporte e qualquer frustração com o futebol, estavam terminando. Eu era apaixonado por esporte e a natação hoje é minha paixão”, destaca.

FORÇA E EMOÇÃO

Mesmo passando por eventuais momentos de tristeza, na natação “as coisas boas começaram a acontecer”, como Maurício diz. Hoje ele define sua vida da seguinte forma: “Eu me sinto muito bem, não trocaria minha vida de agora depois do acidente, pela vida de antes do acidente. E isso vai sempre me emocionar e me fortificar!”, garante o atleta.

Faça sua doação! Acesse o endereço “www.catarse.me” e depois, na busca, digite “Maurício Scota” e clique no link “Ajude o Paratleta Mauricio Scota”. Neste link, você pode fazer a sua doação.